Pensa no hotel mais legal do mundo? The Verb, em Boston.

Antes mesmo de comprar a passagem pra Boston eu já tinha decidido que ficaria hospedada no The Verb. Fiquei apaixonada por ele quando vi os stories do Instagram do Por Mais Um Carimbo.

E o motivo desse amor à primeira vista é que o hotel é TODO temático com referência de música por todos os lados!

Fachada do hotel de dia
Fachada do hotel a noite
Fachada do hotel a noite

Recepção

A fachada já é muito legal, mas por dentro ele é incrível!

As fotos abaixo são da recepção, com guitarras, amplificadores, posters, vinis, cartazes de bandas e shows, livros…

No cantinho depois do sofá tem algumas coisas tipo café, chá, frutas e barrinhas de cereal. Tudo no estilo grab and go, só pegar e levar – e já está incluso no valor da hospedagem.

Lá nos fundos é o restaurante, onde também é servido o café da manhã.

Playlist da semana!

Estrutura do The Verb

A arquitetura do prédio lembra aqueles hotéis de beira de estrada de filmes antigos, mas tudo com muito bom gosto, é claro! E nada disso é a toa. O hotel funciona hoje no antigo Fenway Motor Hotel, de 1959.

O hotel tem um piscina externa que é aquecida. A construção verde em segundo plano é o Fenway Park, o estádio do time de baseball  Red Sox.

Eu estive em Boston em meados de novembro de 2018 e peguei uma das primeiras nevascas da temporada.

A foto abaixo é do banheiro comum que tem entre a piscina e a recepção.

Comentei ali em cima sobre os hotéis antigos e a última sinalização é “Ice ice baby”. que não só faz menção à música do Vanilla Ice,  como também indica onde fica a máquina de gelo, que é muito coisa de filme!

Vinis disponíveis pra ouvir no quarto.

O quarto

A porta do quarto parece um estúdio de gravação e a chave remete a uma credencial de show.

O meu quarto era um standard com duas camas queen. Achei ótimo!

Pelo que eu vi, a decoração era bem parecida em todos os quartos, o que variava eram os posters. O meu tinha Beatles! ♥

Amei a decoração!

E detalhe: todos os quartos tinham um toca-discos com uma seleção de vinis.

O quarto também tinha frigobar, cafeteira, cápsulas de café e chá e água.

Detalhe para o banco, igual ao de bateristas

High & Dry: saquinho com secador de cabelo. Rock & (extra) roll = rolo extra de papel higiênico.

Amenities da C.O. Bigelow.

Restaurante e café da manhã

Dentro do hotel ficava o restaurante Hojoko, um japonês que funcionava apenas para jantar. Durante o dia o espaço era usado pra servir café da manhã.

O café da manhã era simples e nada era caseiro, mas super quebrava o galho.

Eu amei o hotel e todos os detalhes dele, incluindo o atendimento impecável. Recomendo muito para quem gosta de música, nem que seja por uma noite!

O hotel não fica no centro da cidade, mas é perto de tudo. Ele fica ao lado do Fenway Park, a poucos metros de um supermercado Target, farmácia CVS, da padaria maravilhosa Tatte Bakery & Coffee, que comentei nesse post aqui. Além disso, fica a apenas 1km do Museu Isabella Stewart Gardner, 1km da Newbury Street (uma rua super fofa e uma das principais para compras na cidade) e a 2,5km do MIT (Cambridge).

A diária varia bastante de acordo com o período. Na época que eu fui ela custava quase R$ 400 o quarto com duas camas queen (que cabem até 4 pessoas).

Fachada lateral do hotel

Endereço: Boylston Street, 1271  – Boston.

Mais informações aqui.

Pra ver outra dica de hospedagem na cidade é só clicar aqui.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

You may use these <abbr title="HyperText Markup Language">html</abbr> tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*