Quase tudo sobre o Vale dos Vinhedos (e arredores)

Finalmente conheci o Vale dos Vinhedos! Na Páscoa desse ano (abril 2017) eu fui pra lá com a família pra comemorar o aniversário da minha mãe e a viagem foi maravilhosa! ♥

Sobre o Vale dos Vinhedos

Localizado no Rio Grande do Sul, entre os municípios de Bento Gonçalves (que corresponde a 60% do território), Monte Belo do Sul e Garibaldi, o Vale dos Vinhedos representa o legado histórico, cultural e gastronômico deixado pelos imigrantes italianos que chegaram à  Serra Gaúcha em 1875.

O que fazer por lá? Visitar pequenas propriedades rurais, vinícolas familiares e até mesmo as maiores, conhecidas internacionalmente e que exportam vinho e espumante para diversos países do mundo. Além disso, aproveitar a gastronomia colonial, restaurantes, bistrôs, armazém de queijos, doces e geleias. Tudo isso com muito charme, paisagens lindas e muito verde.

Não sei quantas vinícolas são no total, mas segundo a Aprovale (entidade que reúne vinicultores e empreendimentos ligados à cultura e ao Enoturismo), são mais de 30 – que estão abertas à visitação durante o ano inteiro. Algumas oferecem tour/visita guiada, degustação, harmonização, mas vou falar sobre isso nos próximos posts.

Denominação de Origem

Os vinhos produzidos no Vale são os únicos no Brasil com Denominação de Origem (DO). A região foi a primeira no país a obter a Indicação Geográfica.

Como chegar

O Vale dos Vinhedos está localizado a 120km de Porto Alegre, capital gaúcha.

Tem como ir  de ônibus? Tem! A passagem executiva de Porto Alegre custa em torno de R$ 45 (o trecho) e vai até Bento Gonçalves, mas de lá você tem que pegar outro transporte. O Vale dos Vinhedos não fica dentro de Bento Gonçalves, fica a uns 3km e tem que atravessar a RS 470.

O jeito mais fácil e confortável é ir de carro, até porque esse vai ser o transporte mais prático dentro do próprio Vale.

Lá é tudo bem sinalizado, mas no mapa abaixo a gente consegue ter uma visão geral da região e onde fica cada vinícola/restaurante. Também dá pra se localizar pelas linhas: Linha Leopoldina (norte) e a Linha Garibaldina (sul).

Mapa Vale dos Vinhedos
Fonte: www.valedosvinhedos.com.br

As estradas/vias do Vale não são projetadas para pedestres. Sei que algumas empresas organizam tours de vans e ônibus, alguns hotéis oferece transporte, mas o carro te dá mais liberdade.

Serra Gaúcha

Como toda a região da Serra Gaúcha, o Vale dos Vinhedos tem casarões e construções antigas lindas, ruas empedradas e muito charme.

Vale dos Vinhedos

Gramado e Canela

A distância de Gramado/Canela até o Vale dos Vinhedos é a mesma que de Porto Alegre até o Vale, 120km. Muita gente acha que ser por Serra Gaúcha fica tudo perto, mas a serra é grande e só vale a pena combinar os destinos se você tiver um bom tempo pra explorar tudo com calma. Caso contrário eu faria em viagens independentes.

Novidade! Enquanto pesquisava algumas coisas para o post eu descobri que a Citral (empresa de transporte rodoviário) lançou um passeio chamado “Circuito dos Vinhos”, que pelo que eu entendi parece bastante com o sistema daqueles ônibus da linha de turismo que a gente vê pelo mundo, hop-on hop-off: você escolhe o que quer conhecer, onde parar e quanto tempo ficar em cada vinícola.

Pelo que eu entendi esse passeio acontece apenas nas sexta-feiras e parte de Gramado, Canela e Nova Petrópolis. Seria legal se partisse de Porto Alegre e dos principais hotéis do Vale dos Vinhedos, né?

Mais informações aqui.

Hospedagem

Tem como se hospedar em Bento Gonçalves e nas cidades vizinhas, mas a minha dica é ficar dentro do Vale dos Vinhedos.

Quando pesquisei sobre hospedagem, há alguns anos, eu me apaixonei pela Pousada Borghetto Sant’Anna, que é super aconchegante e charmosa. De todas as que eu pesquisei e olhei fotos, foi a que eu mais gostei – mas não foi a que eu me hospedei esse ano, hehe.

Dica: reserva a hospedagem com antecedência! Fizemos a reserva em dezembro de 2016 e na época já não tinham muitas opções para o feriadão de Páscoa.

Acabamos nos hospedando no Super 8, uma rede de hotéis mais econômica, bem no estilo Ibis. Localizado bem próximo a um dos acessos ao Vale dos Vinhedos, o Super 8 é bem simples e não tem o charme da serra, mas é bem novo, limpo e as diárias são mais em conta que os outros da região. Nós pagamos R$ 172 por noite/2 pessoas.

O Spa do Vinho é um dos lugares que mais bombam por lá. A vista de lá é linda e o spa é todo com produtos da Caudalie. Eu fiz a “Harmonização do Pôr do Sol”, mas conto mais nos próximos posts.

Vale dos Vinhedos - Spa do Vinho

Outra opção é o Hotel Villa Michelon, que fica no centro do Vale.

Gastronomia

Além do Spa do Vinho, que acabamos ficando para jantar depois da harmonização, também conhecemos outros três lugares: Valle Rústico Restaurante, Pizza Entre Vinhos (não achei site, mas é dos mesmos donos da Mamma Gema) e Restaurante Maria Valduga, que fica dentro da Casa Valduga. Todas as opções eram bem diferentes entre si e foram certeiras, adorei!

  • Pra ler o post sobre o Restaurante Valle Rústico é só clicar aqui.

Queijos e geléias

  • Casa Madeira: sucos, geléias e creme balsâmico. Mas também tem a linha de cosméticos Vinotage, que é feita a partir do vinho e algumas bebidas, como espumantes e a Cerveja Leopoldina. Tanto a Casa Madeira quanto todos os produtos e linhas são de produção própria e pertencem ao Grupo Famglia Valduga. Eu experimentei algumas geléias e gostei bastante, mas acabei comprando o antepasto italianoEndereço: Via Trento 3355, Linha Leopoldinha – Vale dos Vinhedos.
  • Queijaria Valbreta: queijos e outros produtos coloniais. Eu comprei o queijo saint paulin com nozes e o queijo fundido com alho e salsa. Delícia! Endereço: RS 444 (km 16), número 2.660 – Vale dos Vinhedos.
  • Quinta do Joaquim: queijos e outros produtos coloniais. Não lembro exatamente o que eu comprei, mas era um queijo pecorino.

Boa notícia: em todos esses três lugares tem degustação!

Quando ir

As vinícolas recebem turistas o ano inteiro e cada estação tem o seu charme e atração. Eu fui no outono e a temperatura estava bem agradável, peguei um pouco de sol num dos dias, mas nos outros foram tempo cinza e chuva – mas felizmente não atrapalhou a programação. Quero muito voltar no verão durante o período da vindima (época da colheita da uva) e participar da programação especiais que eles fazem (picnic, colheita, etc).

Além do Vale dos Vinhedos

Nem só de Vale dos Vinhedos vivem os vinhos do Rio Grande do Sul, né? É possível encontrar vinícolas incríveis ao redor do Vale dos Vinhedos, como é o caso da Cave Geisse e da Valmarino que eu visitei em Pinto Bandeira – região conhecida por originar os “Vinhos de Montanha”.

Pelo que ficamos sabendo lá e pelo que andei lendo, a região de Pinto Bandeira está para receber a Denominação de Origem para espumantes, tornando-se assim o único lugar fora da Europa a ter essa certificação. Demais, né? Segundo a Lindiane, que foi quem conduziu a degustação na Vinícola Valmarino, a região vai ter o selo Altos de Pinto Bandeira.

Uma vinícola que eu quero muito ir é a Luiza Argenta, que fica em Flores da Cunha, a uns 70km de distância do Vale dos Vinhedos.

As vinícolas

Tem como fazer um bate-volta no Vale dos Vinhedos? Tem! Se essa for a sua única opção ok (melhor que nada, né?), mas é tanta coisa pra ver, tanto vinho e espumante pra degustar que dá pena fica tão pouco tempo.

Nos próximos posts vou contar um pouco mais sobre os lugares que eu visitei, mas vou listar aqui as vinícolas que visitei durante os 2 dias e meio que fiquei por lá:

13 thoughts on “Quase tudo sobre o Vale dos Vinhedos (e arredores)

  1. Esta região é linda por demais! Adorei que o MMM passou por lá e agora trouxe suas preciosas impressões. E lindas fotos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *